GERAÇÃO DISTRIBUÍDA

Com o surgimento de tecnologias capazes de produzir energia elétrica por meio de fontes renováveis, como o sol e o vento, abriu-se a possibilidade de gerar energia utilizando-se pequenos geradores elétricos.


Com o objetivo de reduzir as barreiras para a conexão de pequenas centrais geradoras na rede de distribuição – advindas de fonte renovável ou de cogeração com elevada eficiência energética – a ANEEL criou a Resolução Normativa 482. Esta resolução instituiu o Sistema de Compensação de Energia permitindo que a energia excedente gerada pelo sistema fotovoltaico seja injetado na rede elétrica, gerando créditos de energia para o consumidor.


O sistema de compensação de energia funciona da seguinte forma: Durante o dia o sistema fotovoltaico irá gerar energia e injetar na rede da Concessionária. Já a noite, o consumidor irá utilizar a energia da rede. Caso a energia injetada seja maior que a energia consumida o consumidor terá um crédito – desconto em valores – na próxima fatura. Caso a energia produzida seja menor que aquela utilizada da rede elétrica, o consumidor pagará pela diferença de valores (consumido menos o gerado). Os créditos gerados podem ser utilizados nos meses subsequentes ou até mesmo em outra unidade consumidora com o mesmo CPF ou CNPJ, desde que dentro de uma mesma Concessionária de Energia.



Caderno Temático sobre Micro e Minigeração da ANEEL


Geração Distribuída
1) Como diferenciar microgeração de minigeração?

A microgeração distribuída compreende sistemas com potência instalada menor ou igual a 100 kW (cem quilowatts).
Já a mini geração abrange centrais geradoras com potencia superior a 100 kW e menor ou igual a 1 MW (um megawatt).

2) Quais são os procedimentos necessários à viabilização de acesso?

a) Consumidor: Fazer a solicitação de acesso junto à Distribuidora;
b) Distribuidora: Emitir o parecer de acesso (Prazo: 30 dias*);
c) Consumidor: Comprar/instalar a geração;
d) Consumidor: Solicita a vistoria da Distribuidora;
e) Distribuidora: Fazer a vistoria do sistema (Prazo: 30 dias);
f) Distribuidora: Entregar o relatório de vistoria (Prazo: 15 dias);
g) Consumidor: Regularizar eventuais aspectos técnicos apontados no relatório;
h) Consumidor: Solicitar a aprovação do ponto de conexão;
i) Distribuidora: Aprovar o ponto de conexão e efetivar a conexão;
j) Consumidor: Pagar a diferença da medição.

*Se for minigeração e houver necessidade de obras na rede de distribuição, este prazo é de 60 dias.

3) A minha conta de energia elétrica será zerada?

Não. Para unidades consumidoras conectadas em baixa tensão (grupo B), ainda que a energia injetada na rede seja superior ao consumo,
será devido o pagamento do custo de disponibilidade – valor em reais equivalente a 30 kWh (monofásico), 50kWh (bifásico) ou 100 kWh (trifásico).
Já para consumidores conectados em alta tensão (grupo A) será devida apenas a parcela da fatura correspondente à demanda contratada.

   



Contato: (31) 3519-2804 - contato@dyasolar.com.br
Escritório: Avenida das Nações, 3801. Distrito Industrial. CEP 33200-000 VESPASIANO-MG
Fábrica: Rod. Dom Pedro I, km 145 . Ciatec . Av. 01, 101 - Bairro Nova Aparecidinha. CEP 13069-200 CAMPINAS-SP
© 2018 DYA Energia Solar - Todos os direitos reservados